Tratamento de impotência em homens

Tratamento de impotência em homens

Muitos homens experimentam disfunção erétil periodicamente, especialmente quando atingem a idade de 60 anos. Mas se esse problema se tornou sistemático, você precisa consultar um médico. Essa doença costuma ser chamada de impotência, embora do ponto de vista da medicina essa definição não seja totalmente correta. Esta é uma disfunção dos órgãos genitais, que na maioria dos casos é tratável e permite que você leve uma vida sexual normal.

Causas e sintomas

A disfunção erétil é a incapacidade de atingir uma ereção persistente para uma relação sexual completa. Uma ereção pode enfraquecer durante a relação sexual, demorar muito mais do que o normal ou desaparecer periodicamente. Visto que, por causa disso, ambos os parceiros não podem receber satisfação sexual, o problema freqüentemente se desenvolve na forma de complexos psicológicos e condições estressantes.

Fisiologicamente, a doença se manifesta na ausência de enchimento de sangue nos corpos cavernosos do pênis durante a excitação sexual. Assim, o pênis não fica ereto. Esta patologia pode se desenvolver no contexto:

doenças inflamatórias do sistema geniturinário;

infecções;

patologias vasculares;

lesões;

perturbações hormonais;

doenças sistêmicas como diabetes mellitus;

fatores psicoemocionais.

Além disso, problemas de ereção podem ocorrer devido ao tabagismo, abuso de álcool, trabalho “sedentário”, tomar certos medicamentos e passar por cirurgias. Portanto, apenas um médico pode escolher um tratamento eficaz para a impotência.

Diagnóstico

Para diagnosticar a disfunção erétil, o médico geralmente precisa entrevistar e examinar o paciente. No entanto, o tratamento da impotência em homens requer um diagnóstico abrangente, que revelará a causa raiz da patologia. Um exame padrão inclui um teste de sangue (para detectar patologias cardiovasculares, diabetes mellitus, distúrbios hormonais), urina (para diagnosticar a inflamação), ultrassom Doppler (para determinar os parâmetros do fluxo sanguíneo), um teste vasoativo para excluir fatores psicoemocionais. Em alguns casos, a consulta com outros especialistas é necessária, incluindo um psicólogo e um endocrinologista.

Novos tratamentos para impotência

Segundo as estatísticas, apenas 22% dos homens, confrontados com esta doença, procuram ajuda médica. A maioria tenta lidar com o problema por conta própria, tomando medicamentos duvidosos com eficácia não comprovada. Isso é agravado pela patologia e riscos significativos à saúde, incluindo saúde sexual.

O tratamento moderno da impotência masculina é complexo. É construído com base em dados diagnósticos e é determinado pela etiologia da doença. Os principais métodos de terapia:

tomar medicamentos especiais;

MLT;

terapia de ozônio;

UHT;

massagem a vácuo;

massagem da próstata.

A terapia por ondas de choque é um procedimento não invasivo que envolve a exposição da área patológica com ondas de baixa frequência. Estimula os processos de regeneração, elimina a inflamação e alivia a dor. Graças ao curso da terapia por ondas de choque, a circulação sanguínea é normalizada e as formações patológicas são destruídas pontualmente, sem afetar os tecidos saudáveis. Além disso, esse efeito promove a eliminação de toxinas, ativa a formação de novos vasos e torna as veias já existentes mais elásticas. O primeiro efeito positivo torna-se perceptível após 1-3 sessões. Uma vantagem importante desse procedimento é que ele combate não os sintomas, mas a causa da patologia, permitindo normalizar o fluxo sanguíneo para os corpos cavernosos durante a excitação sexual.

MLT é uma técnica baseada em dupla exposição: magnética e laser. Essa radiação proporciona uma profundidade de penetração significativa dos impulsos, aumentando a eficácia dos medicamentos. Com isso, a síndrome dolorosa é removida, processos metabólicos são ativados e a qualidade da ereção aumenta.

A ozonioterapia é um procedimento inofensivo que envolve a administração intravenosa de soro fisiológico, saturado com uma mistura de oxigênio e ozônio. O resultado é a destruição de patógenos, saturação de oxigênio do sangue, expansão da luz dos vasos sanguíneos, ativação de processos metabólicos. O curso da terapia com ozônio ajuda a aliviar a inflamação e eliminar a causa raiz da disfunção erétil.

A massagem da próstata visa normalizar o fluxo sanguíneo para esse órgão, saturando-o de oxigênio e nutrientes. Graças às manipulações especiais da massagem, as vias para o escoamento da secreção da próstata são liberadas, a congestão desaparece e os processos de inflamação são suprimidos.

No centro médico “Medical On Group – St. Petersburg” no complexo de terapia também são usados ​​medicamentos exclusivos, que foram desenvolvidos com a participação dos principais urologistas-andrologistas da corporação internacional “Medical On Group”. Esses medicamentos são produzidos naturalmente, sem hormônios e fornecem um tratamento seguro para a disfunção erétil, sem efeitos colaterais.

Medidas preventivas

Para que o resultado da terapia seja de longo prazo, você deve seguir as recomendações do médico em relação ao estilo de vida:

pare de fumar, drogas, álcool;

normalizar peso;

visite um urologista regularmente (pelo menos uma vez por ano);

ter relações sexuais com um parceiro regular;

evite o estresse;

resolver problemas de saúde em tempo hábil.

Leia mais em: https://macnews.com.br/erectaman-funciona-mesmo-impotencia-sexual-x-covid-19/

O que saber sobre os benefícios do óleo de peixe para os homens

O que saber sobre os benefícios do óleo de peixe para os homens

O óleo de peixe é um suplemento alimentar comum rico em ácidos graxos ômega-3. A pesquisa sugere que eles podem ser benéficos para a saúde e proteção contra certas doenças. Além disso, também pode haver benefícios específicos para os homens, já que o óleo de peixe pode ajudar nas ereções e na fertilidade.

Pessoas que comem muitos peixes oleosos podem obter o suficiente desses ácidos graxos de sua dieta. Para aqueles que não comem peixe, ou apenas ocasionalmente, tomar um suplemento de óleo de peixe pode garantir que recebam quantidades suficientes.

Este artigo explora os benefícios potenciais do óleo de peixe para os homens e os possíveis riscos. Também sugere como as pessoas podem aumentar seus níveis de ômega-3.

Definição de óleos de peixe

O óleo de peixe vem de várias espécies de peixes oleosos, como cavala, atum e arenque. Os fabricantes podem usar muitos métodos diferentes para colher óleo de peixe, mas a maioria das técnicas geralmente envolve um processo de quatro estágios que inclui cozinhar, prensar, filtrar e centrifugar o óleo resultante.

Os óleos de peixe contêm ácidos graxos poliinsaturados ômega-3 . Esses são ácidos graxos essenciais que o corpo não consegue produzir sozinho. Dois dos tipos mais conhecidos de ômega-3 são o ácido eicosapentaenóico (EPA) e o ácido docosahexaenóico (DHA) .

O consumo de óleos de peixe e ômega-3 pode trazer alguns benefícios à saúde e ajudar em diversos problemas de saúde.

Lista de possíveis benefícios

O óleo de peixe pode ter um impacto em diferentes áreas da saúde e ser um suplemento útil para muitas pessoas. A seguir está uma lista de alguns benefícios potenciais do óleo de peixe para os homens.

Saúde sexual e fertilidade

Embora não seja amplamente divulgado, os suplementos de óleo de peixe podem ter benefícios para a saúde sexual e a fertilidade.

Um estudo animal de 2017 examinou os efeitos dos ácidos graxos ômega-3 e da disfunção erétil devido à aterosclerose . Nessa condição, os vasos sanguíneos se estreitam, o que pode afetar as ereções. Os ratos no grupo de tratamento alimentados com ácidos graxos ômega-3 demonstraram uma qualidade de ereção significativamente melhorada.

É fundamental ter em mente que os estudos em animais não indicam os mesmos resultados em humanos. No entanto, uma revisão anterior também indica que o ômega-3 pode ajudar os homens com a função erétil.

Em um estudo de 2020 com 1.694 participantes jovens do sexo masculino, aqueles que relataram usar suplementos de óleo de peixe tinham testículos maiores e maior volume e qualidade de sêmen.

Eles também tinham um perfil de aparência mais saudável do hormônio folículo-estimulante e do hormônio luteinizante. Esses são dois hormônios essenciais que regulam a produção de esperma.

Embora o estudo não possa concluir que o óleo de peixe está causando a melhoria, ele sugere que pode ter um papel.

Saúde mental

A pesquisa sugere que os indivíduos com depressão podem ter níveis sanguíneos mais baixos de ácidos graxos ômega-3. Em um pequeno estudo com 23 pessoas publicado na Psychiatry Research , a suplementação com ômega-3 ajudou a melhorar os sintomas da depressão em 3 semanas.

Existem ligações entre depressão e problemas de memória . A suplementação com DHA sozinho ou em combinação com EPA pode melhorar a função da memória em alguns grupos de adultos.

Embora os estudos sugiram que a suplementação de ômega-3 pode ajudar a prevenir o declínio cognitivo, especialmente em adultos mais velhos, uma revisão de 2019 observa que mais pesquisas ainda são necessárias.

Saúde do coração

As doenças cardíacas são responsáveis ​​por 1 em cada 4 mortes nos Estados Unidos a cada ano. De acordo com os Centros para Controle e Prevenção de Doenças (CDC), as doenças cardíacas são a principal causa de morte em homens nos EUA

Comer peixe pode ter um efeito protetor sobre a saúde cardíaca, reduzindo alguns dos fatores de risco de doenças cardíacas.

Os triglicerídeos são um tipo de gordura encontrada no sangue e, embora o corpo precise deles, se os níveis forem muito altos, eles podem aumentar o risco de doenças cardíacas.

O óleo de peixe pode ajudar a reduzir os níveis elevados de triglicerídeos e a pressão arterial . Comer peixe também pode ajudar a reduzir significativamente a lipoproteína de baixa densidade ou o colesterol “ruim”.

Embora muitas fontes promovam os benefícios potenciais do óleo de peixe para a saúde cardiovascular, os estudos clínicos não os sustentam de forma consistente. Por exemplo, uma análise publicada no JAMA Cardiology não conseguiu encontrar uma ligação clara entre o óleo de peixe e o menor risco de doenças cardíacas.

Saúde ocular

Algumas evidências sugerem que uma ingestão adequada de óleo de peixe pode ajudar a proteger a saúde dos olhos. Uma revisão de 2017 observa que o óleo de peixe pode desempenhar um papel no tratamento de doenças inflamatórias dos olhos, como degeneração macular relacionada à idade (DMRI) e doença do olho seco .

Um estudo de 2019 indica que as pessoas que consomem regularmente frutas frescas, vegetais e peixes eram menos propensas a desenvolver DMRI em comparação com aquelas que não o faziam.

American Academy of Ophthalmology (AAO) recomenda óleos de peixe para reduzir os sintomas de olho seco. No entanto, algumas evidências sugerem que eles não têm efeito. Um estudo de 2018 não encontrou evidências que indiquem que tomar suplementos de óleo de peixe foi mais útil do que tomar um placebo para olho seco.

Os optometristas podem recomendar tomar suplementos de ômega-3 ou aumentar o consumo de peixes na dieta para beneficiar a saúde dos olhos, embora algumas evidências científicas sugiram que os óleos de peixe não são adequados para esse propósito.

Riscos e considerações

Antes de decidir complementar suas dietas com óleos de peixe, as pessoas também devem considerar os possíveis riscos.

Enquanto algumas pesquisas indicam que comer uma dieta rica em ômega-3 pode ajudar a prevenir o câncer de próstata , outras pesquisas sugerem o contrário. Um estudo de 2013 observa que uma alta ingestão de óleo de peixe pode realmente aumentar o risco de câncer de próstata de alto grau.

O National Institutes of Health (NIH) observa que a ligação entre o ômega-3 e diferentes tipos de câncer, como a próstata, ainda permanece obscura .

Algumas pessoas podem sentir efeitos colaterais leves se suplementarem com óleo de peixe. Estes podem incluir gosto desagradável, mau hálito, diarreia, flatulência, náuseas e outros sintomas digestivos.

Como aumentar seu nível de ômega-3

Os três principais ácidos graxos ômega-3 são EPA, DHA e ácido alfa-linolênico (ALA). Enquanto os dois primeiros estão presentes no óleo de peixe, o ALA vem de óleos vegetais, como óleo de linhaça, soja e canola.

O ALA é um ácido graxo essencial, o que significa que o corpo não pode produzi-lo e deve vir de uma fonte alimentar. Embora o corpo possa converter pequenas quantidades de ALA em EPA e depois em DHA, a maneira mais prática de aumentar esses ácidos graxos ômega-3 é com alimentos ou suplementos nutricionais.

O ALA é o único ômega-3 essencial, portanto, é o único com uma ingestão adequada recomendada. A pesquisa sugere que os homens devem ter como objetivo cerca de 1,6 gramas .

Tanto o EPA quanto o DHA não têm dosagens diárias recomendadas oficialmente, pois não são nutrientes essenciais. No entanto, a British Dietetic Association sugere uma dose diária de cerca de 450 mg de EPA e DHA para adultos.

Pode ser difícil avaliar a ingestão de suplementos nutricionais, pois as quantidades de óleo de peixe podem variar. Por exemplo, 1.000 mg de óleo de peixe de uma marca de suplemento podem conter menos ou mais EPA e DHA do que a mesma quantidade de óleo de outra marca.

As pessoas podem obter ômega-3 suficiente incluindo os seguintes alimentos em sua dieta:

  • peixes e frutos do mar, especialmente sardinhas, atum, cavala, salmão e arenque
  • nozes e sementes, como sementes de chia e nozes
  • óleos vegetais, como óleo de linhaça, soja e canola
  • alimentos fortificados, como alguns tipos de ovos, iogurte e bebidas de soja

Alternativamente, as pessoas podem se beneficiar de um suplemento de óleo de alga vegetal ou peixe para aumentar os níveis. Algumas evidências sugerem que tomar um suplemento de óleo de peixe com uma refeição que contém gordura pode ajudar a aumentar a absorção.

Leia também: https://feriasnaargentina.tur.br/erectaman-disfuncao-eretil-causas-e-melhor-tratamento/

Dicas para você começar a surpreender na cama!

Perder os quilos extras que ganhamos com a comida de Natal, ganhar mais dinheiro, viajar pelo mundo, encontrar um companheiro, ter um emprego melhor, etc.

Geralmente são algumas das resoluções mais comuns em nossa lista de objetivos para o ano novo.

Porém, há um que muitos de nós escapamos: como melhorar nossa vida sexual.

E como em tempos de pandemia os encontros com o casal têm sido mais difíceis.

Trazemos aqui alguns conselhos para que este ano e ao longo de sua vida melhore e melhore sua vida sexual.

1. Não fique calado, diga o que você quer!

Assim como você escuta, a comunicação antes e durante o sexo é muito importante para que ambas as partes se beneficiem ao máximo.

Dessa forma, ouse contar ao seu parceiro, namorado/namorada, esposa / a o que você gostaria de vivenciar na cama, um pouco de fantasia, assistir pornografia juntos, incluir adereços para as preliminares ou durante o sexo, e até usar os populares brinquedos sexuais que durante esta pandemia suas vendas aumentaram, de fato, as informações consultadas pela Forbes Brasil revelaram que as vendas de sex shops no país aumentaram entre 27% e 140% durante a pandemia.

Um estudo da revista Arquivos do comportamento sexual também observou que carícias pós-sexuais e entrevistas contribuem para uma melhor comunicação sexual com seu parceiro, além de promover uma melhor conexão entre eles.

2. Masturbar

Brinquedos sexuais podem ajudar a iniciar uma nova prática sexual.

Não ter alguém com quem compartilhar sua vida sexual não deve ser uma desculpa para orgasmos, então aproveite ao máximo seu tempo sozinho, de manhã ou à noite, para agradar a si mesmo. 

Os benefícios virão por si próprios.

Na verdade, um estudo publicado na revista Relacionamento Sexual e Afetivo descobriu que quem se masturba tem um melhor funcionamento do sistema imunológico e também reduz o risco de infecções.

A masturbação também permitirá que você conheça melhor suas zonas erógenas, para que possa descobrir por si mesmo o que mais gosta no sexo.

3. Cuide da higiene de sua área íntima

Preste atenção à sua área privada e aos cuidados de que ela necessita, pois evitar infecções ou problemas que possam colocar em risco a sua saúde é um dos requisitos mais importantes para que você aproveite ao máximo a sua vida sexual.

Os especialistas recomendam que, ao limpar sua área íntima, use sabonetes de pH neutro, e apenas na área externa, ou seja, vagina, clitóris e lábios. 

Lembre-se de que não é recomendado o uso de sabonetes ou duchas internas, pois podem aumentar o risco de infecções.

Da mesma forma, é recomendável usar roupas íntimas de algodão para que a pele da região respire melhor.

Leia também o artigo: O que eu tenho que fazer para surpreender na cama?

4. Faça exercícios para fortalecer a região pélvica.

Exercícios de Kegel para fortalecer a região pélvica

Os exercícios ajudam a tonificar os músculos da região pélvica, portanto, quando você faz sexo, seus orgasmos podem ser muito mais intensos. 

Atividades como ioga ou pilates estão entre os esportes que podem ajudar homens e mulheres nessa tarefa.

Da mesma forma, nos últimos anos os exercícios de Kegel, que visam fortalecer os músculos do assoalho pélvico (bexiga, intestino grosso, útero feminino e reto).

Tornaram-se uma prática tanto para homens quanto para mulheres que ajudam na melhora da região pélvica e, portanto, melhora da vida sexual.

5. Não se esqueça de visitar o seu ginecologista e urologista regularmente

Lembre-se de que visitar esses especialistas também é uma forma de cuidar da sua saúde sexual, pois é preciso ser constantemente verificado se você tem uma infecção vaginal ou do trato urinário ou uma doença sexualmente transmissível (DST).

Lembre-se que o ideal é marcar uma consulta anual com o seu ginecologista ou urologista. 

Lembre-se de que não ter uma vida sexual ativa não é desculpa para manter o controle da sua saúde e cuidar da sua privacidade.